Apelo

Anos de política de direita arrastaram Portugal para o declínio económico, o retrocesso social e a dependência externa. Ao mesmo tempo que mentem sobre a situação do País, o PSD e o CDS-PP, com a convergência encoberta do PS, desde já preparam, em articulação com a União Europeia, a continuação e agravamento deste rumo para décadas. Se tiverem força para isso, após as eleições, visam promover o desemprego, degradar os salários e aumentar a exploração, introduzir mais cortes nas reformas e pensões, nos apoios sociais e nos serviços públicos, e simultaneamente atribuir novas benesses ao grande capital. É a perpetuação da exploração e do empobrecimento do povo, é o comprometimento do futuro de Portugal.

Não aceitamos este rumo, assumimos que é necessário e possível um Portugal com futuro!

Aos trabalhadores, aos jovens, às mulheres, aos reformados, aos democratas e patriotas empenhados na ruptura com a política de direita e com o rumo de empobrecimento e declínio nacional prosseguido nestes últimos anos, por este Governo e pelos anteriores, fazemos um apelo.

Participem na Marcha Nacional de 6 de Junho.

Basta de humilhação!

Basta de exploração e empobrecimento!

Basta de mentira, corrupção e dependência!

Todos à rua por um Portugal com futuro!

A Marcha Nacional «A força do Povo» – todos à rua por um Portugal com futuro, promovida pela CDU, Coligação Democrática Unitária, PCP/PEV, é uma poderosa jornada de luta e afirmação da força e da vontade do povo português num País livre da submissão aos interesses financeiros, um País soberano, de progresso social e desenvolvimento.

A Marcha Nacional é uma poderosa afirmação de que reside no povo, na sua intervenção, na sua luta e no seu voto, a decisão soberana sobre o futuro a construir para as gerações actuais e vindouras, uma afirmação de que está nas mãos dos trabalhadores e do povo decidir do seu destino, abrir outro caminho para Portugal, concretizar uma alternativa patriótica e de esquerda, vinculada aos valores de Abril.

Face à situação do País, dos trabalhadores, da juventude, das mulheres, dos reformados da grande maioria do povo português não nos resignamos, não nos submetemos, não desistimos.

Pela libertação do garrote da dívida, da dependência e do domínio do grande capital. Pela verdade, a dignidade e a honestidade. Pela produção nacional, o emprego, e os direitos dos trabalhadores. Pelos serviços públicos e o direito à educação, à saúde, à protecção social e à cultura. Pelo controlo público sobre os sectores estratégicos, a justiça fiscal e o desenvolvimento. Pela democracia e a soberania.

A partir de cada bairro, freguesia, empresa, local de trabalho, escola, associação, colectividade, ou individualmente contacte os activistas CDU, militantes do PCP e do PEV, os centros de trabalho e sedes respectivas, para se inscrever e assegurar os transportes e a participação.

Eu apoio

DISCUSSÃO DO PROGRAMA ELEITORAL DO PCP

AUDIÇÕES PARA DISCUSSÃO

23
Maio

SM FEIRA

Novas Gerações - presente e futuro

26
Maio

Lisboa

Apresentação das linhas essenciais do Programa Eleitoral

29
Maio

Lisboa

Defender a pequena e média agricultura, valorizar a produção e o mundo rural

2
Jun.

Lisboa

O Estado para cumprir a Constituição

TENS PROPOSTAS PARA
O PROGRAMA ELEITORAL DO PCP?

CONTRIBUI E PARTICIPA


UMA POLÍTICA PATRIÓTICA E DE ESQUERDA

Há uma política alternativa, patriótica e de esquerda, capaz de responder aos problemas do País e às aspirações dos trabalhadores e do povo

RENEGOCIAÇÃO DA DÍVIDA

Renegociação da dívida nos seus montantes, juros e prazos;

PRODUÇÃO NACIONAL

Promoção e valorização da produção nacional e na criação de emprego;

CONTROLO DOS SECTORES ESTRATÉGICOS

Recuperação para o controlo público de sectores e empresas estratégicos, designadamente do sector financeiro;

AUMENTO DE SALÁRIO E PENSÕES

Valorização dos salários, pensões e rendimentos dos trabalhadores e do povo;

DEFESA DE SERVIÇOS PÚBLICOS

Defesa dos serviços públicos e das funções sociais do Estado, designadamente dos direitos à educação, à saúde, à protecção social e à cultura;

OUTRA POLÍTICA FISCAL

Política fiscal que desagrave a carga sobre os trabalhadores e as pmes e tribute fortemente os rendimentos e o património do grande capital, os seus lucros e a especulação financeira;

DEFESA DA SOBERANIA NACIONAL

Rejeição da submissão às imposições do Euro e da União Europeia, recuperando para o País a sua soberania económica, orçamental e monetária.

«O PS e o PSD são como
o 6 e a meia-duzia»

Nuno Melo, CDS-PP

Descobre porquê

QUERES PARTICIPAR?

JUNTA-TE A NÓS