Intervenção de João Oliveira

Comício de apresentação da lista CDU pelo círculo eleitoral de Évora

Apresentação dos Candidatos Évora
Ver Galeria Apresentação dos Candidatos Évora
Ver Vídeo
Apresentação dos Candidatos Évora
Apresentação dos Candidatos Évora
Apresentação dos Candidatos Évora
Apresentação dos Candidatos Évora
Apresentação dos Candidatos Évora
Apresentação dos Candidatos Évora
Apresentação dos Candidatos Évora
Apresentação dos Candidatos Évora
Apresentação dos Candidatos Évora
Apresentação dos Candidatos Évora
Apresentação dos Candidatos Évora
Apresentação dos Candidatos Évora
Apresentação dos Candidatos Évora

Camaradas e amigos,

Há quatro anos a CDU saiu das eleições legislativas reforçada, com mais votos e mais deputados.

Esse reforço da CDU foi decisivo para todas as decisões tomadas e todos os direitos conquistados nos últimos quatro anos.

A questão que está colocada a todos nas eleições do próximo dia 6 de Outubro é clara: dar mais força à CDU e construir uma nova correlação de forças na Assembleia da República ainda mais favorável aos trabalhadores e ao povo para que esse caminho de avanços prossiga ou correr o risco de voltarmos à política de empobrecimento e da liquidação de direitos, seja pela mão de PS, PSD ou CDS.

No distrito de Évora essa opção é ainda mais clara e evidente. Todos aqueles que não queiram correr o risco de retrocesso e recusem dar força ao bloco central PS, PSD, CDS, a todos eles deixamos o desafio de concentrarem os seus votos na CDU porque é a CDU a única força capaz de disputar a eleição de deputados ao PS e ao PSD.

O reforço da CDU é a mais sólida garantia de defesa das conquistas alcançadas nos últimos anos, de criação de condições para novos progressos nas condições de vida e de trabalho e para ultrapassar os obstáculos que impedem a concretização de uma verdadeira política alternativa que dê resposta aos problemas dos trabalhadores, do povo e do País.

É uma opção que se justifica pelo intenso trabalho realizado em defesa dos direitos dos trabalhadores e do povo e do desenvolvimento do nosso distrito.

Mas a partir de hoje, com esta lista de candidatos que apresentamos, é também uma opção que se justifica pela garantia de que a CDU continua a ser a força em quem os alentejanos devem continuar a confiar.

Apresentamos hoje uma lista de gente conhecedora da realidade do nosso distrito e das dificuldades que precisam de vencer todos aqueles que enfrentam as políticas de esquecimento do interior, de comprometimento dos interesses e dos direitos dos trabalhadores e das populações. Uma lista de gente empenhada na vida do distrito, nas lutas que os alentejanos todos os dias travam para que o Alentejo não se transforme, como diz um dos nossos candidatos, num enorme parque de diversões que outros vêm visitar.

Temos uma lista de gente comprometida com as pequenas e grandes lutas que as populações do nosso distrito têm travado pelo direito ao emprego e ao trabalho com direitos, pelos direitos à saúde, à educação, ao transporte, ao desenvolvimento, pelo bem-estar das populações, pela qualidade do ambiente e a defesa da natureza.

E temos nesta lista de candidatos não só gente que apoiou todas essas lutas mas gente que participou activamente em todas e cada uma delas.

Temos uma lista de gente que assumiu este compromisso com a CDU sem interesse individual ou perspectiva de benefício pessoal mas sim com a grande generosidade de quem sabe que se prepara para travar uma batalha difícil em nome de um bem maior, de um interesse colectivo que é o de termos um distrito e um País mais justos, mais desenvolvidos, de progresso e justiça social.

E também, como é evidente à vista desarmada, temos uma lista que será certamente das mais jovens em todo o País, com uma média etária de 34 anos e em que o candidato mais velho é este que vos fala. Sabemos que a juventude é condição passageira e que nunca é garantia suficiente para vencer as batalhas que travamos mas sabemos que com a juventude desta lista e a companhia que teremos de todos os militantes e activistas do PCP e do PEV mais experientes da CDU damos com esta lista prova do nosso empenhamento na construção do futuro do nosso distrito e da nossa Região.

Camaradas e amigos,

Ao longo desta caminhada que temos pela frente até às eleições de 6 de Outubro teremos de enfrentar muitos obstáculos e teremos de construir a pulso o nosso resultado eleitoral porque ninguém nos fará esse favor.

Todos estão convocados para darem o seu contributo para uma grande campanha de esclarecimento, informação e mobilização para o voto na CDU, uma campanha eleitoral construída na rua, no contacto directo com os trabalhadores e as populações. Uma campanha que seja também uma demonstração da força da CDU, da força das nossas razões, da força com que servimos os interesses dos trabalhadores e do povo, travando a batalha por uma política alternativa patriótica e de esquerda.

As campanhas subterrâneas dos nossos adversários já estão em marcha, com o aproveitamento de tudo aquilo que sirva para nos atacar, nem que isso implique recorrer mesmo à mentira, à difamação e ao discurso do passa-culpas procurando responsabilizar-nos pelas opções de outros.

Não podemos deixar de rebater tudo aquilo que contra nós é inventado, de esclarecer as deturpações e mentiras que contra nós são lançadas mas aquilo em que temos de concentrar a nossa mensagem é na valorização do trabalho que realizámos, nos compromissos que agora assumimos e na afirmação das propostas e soluções para os problemas do distrito e do País.

Temos um vasto património de propostas e iniciativas que demonstram a quem serve o nosso trabalho e a nossa intervenção.

Ao longo destes quatro anos provámos que todos os votos e deputados contam para as decisões tomadas na Assembleia da República, sejam as decisões necessárias à formação dos governos, sejam as decisões de reposição e conquista de direitos que em todas e cada uma contaram com a iniciativa, a proposta e o voto do PCP e do PEV.

Lembramos hoje que nenhuma delas teria sido possível não fosse a resoluta iniciativa da CDU que permitiu abrir uma nova fase da vida política nacional na sequência das últimas eleições legislativas de 2015.

O País viu e os portugueses sabem que usámos a força que nos deram para construir soluções para muitos dos seus problemas mais imediatos.

Sabemos que era possível ir mais longe, que ficaram problemas por resolver e expectativas por concretizar. Não foi por falta de acção, de iniciativa, de proposta da CDU que isso aconteceu mas sim porque a disponibilidade e o contributo da CDU foram muitas vezes recusados pelo PS que preferiu encontrar outras convergências com o PSD e o CDS para travar essas possibilidades de avanço.

O reforço da CDU é a possibilidade de fazer avançar todas essas propostas e medidas que ficaram pelo caminho e que já aqui foram hoje referidas.

De fazer avançar o aumento dos salários como uma emergência nacional, incluindo o SMN para 850 euros.

De fazer avançar o combate à precariedade, a defesa da contratação colectiva e a regimes adequados de regulação dos horários de trabalho.

De aumentar as pensões pelo menos em 40 anos ao longo da próxima Legislatura, com um aumento de 10 euros já em Janeiro de 2020.

De avançar com a gratuitidade das creches para todas as crianças até aos 3 anos, com o investimento na criação de uma rede pública de creches, e com a utilização de outras soluções equiparadas.

De avançar com medidas de compensação dos trabalhadores que trabalham por turnos ou em período nocturno com condições equiparadas às profissões de desgaste rápido.

De avançar com o direito à reforma sem penalizações ao fim de 40 anos de descontos, com os medicamentos gratuitos para os doentes com mais de 65 anos, com a revogação das taxas moderadoras e a reposição do direito ao transporte dos doentes não urgentes, com a defesa de 1% do Orçamento para a Cultura de muitas outras medidas na saúde, na educação, na segurança social, no emprego e na economia que propomos no nosso programa eleitoral.

Mas também de fazer avançar no distrito todas as medidas que podiam e deviam ter sido tomadas para garantir a qualidade de vida das populações e o desenvolvimento do distrito de Évora.

A começar pela construção do novo Hospital Central Público do Alentejo em Évora e do investimento na ferrovia que sirva o nosso desenvolvimento e a fixação de populações e não apenas para ver passar os comboios.

Tal como já tínhamos previsto, o Governo PS atrasou todas essas decisões durante 4 anos para aparecer agora, em cima das eleições, a fazer anúncios e promessas na esperança que depois todos se esqueçam para que não tenha de as cumprir.

Da nossa parte reafirmamos que não deixaremos para trás nenhuma das medidas que são essenciais ao desenvolvimento do nosso distrito e do Alentejo, incluindo estas duas que referimos.

E exigiremos que se cumpra a proposta que apresentámos na AR e que foi aprovada por unanimidade na passada 6ª-feira a reconhecer a importância estratégica do Novo Hospital Central Público do Alentejo e o compromisso político para a adjudicação da obra de construção logo que esteja concluído o respetivo concurso.

Cá estaremos para travar essa luta e para garantir esse objectivo!

Para estas e muitas outras questões decisivas do futuro do nosso distrito teremos resposta e assumiremos o compromisso pela sua concretização no manifesto eleitoral que apresentaremos aos eleitores do distrito.

Tal como apresentaremos em breve o balanço do nosso trabalho na Assembleia da República nos últimos 4 anos em defesa do distrito e das suas populações. Um trabalho ímpar que não encontra paralelo em nenhum dos outros eleitos pelo distrito, um trabalho que nos deve orgulhar mas sobretudo servir de instrumento de esclarecimento e demonstração de que valeu e vale a pena confiar e dar força à CDU.

Camaradas e amigos,

Os alentejanos sabem que podem contar com a CDU e sabem que é pelo reforço da CDU que passa um futuro melhor, de progresso desenvolvimento e mais qualidade de vida, com uma política alternativa que sirva os interesses dos trabalhadores, do povo e do País e que garanta o desenvolvimento do distrito de Évora.

Os alentejanos sabem que o voto na CDU não trai quem o dá e conta em todas as situações para a defesa dos seus direitos.

E sabem também que conta para todos os avanços que é preciso alcançar, nas batalhas que teremos pela frente a partir do dia 7 de Outubro.

Está nas nossas mãos esclarecer, informar, mobilizar para o voto na CDU para construirmos um grande resultado eleitoral que permita de facto alterar para melhor a vida dos trabalhadores e do povo.

Sabemos que com a luta dos trabalhadores e das populações, com mais CDU, com uma CDU com mais força e mais influência nas decisões nacionais estaremos em condições de garantir esse futuro de progresso e desenvolvimento para o distrito e o País.

Vamos ao trabalho!

Viva a juventude CDU!

Viva a CDU!

Viva o distrito de Évora!