Barreiro

Obra realizada dá confiança no Barreiro

Secretário-Geral do PCP reclama aumento extraordinário do salário mínimo nacional para 600 euros em Janeiro de 2018

A Sociedade de Instrução e Recreio Barreirense «Os Penicheiros» acolheu, sábado, um grande comício da CDU, que encerrou aquele dia de campanha.

Naquela sala – repleta de histórias de luta, para construir uma sociedade mais justa – estiveram várias centenas de pessoas, que, com a sua presença, quiseram dar «mais força à CDU», um projecto que marca a diferença pela obra realizada.

Presentes estavam reivindicações actuais: «Educação, pública, gratuita e de qualidade», «Trabalho com direitos, nas autarquias do concelho e no País», «Defender a água pública», «Exigimos a reposição de todas as freguesias do concelho» e «Exigir saúde».

Ali intervieram Carlos Humberto e Sofia Martins, primeiros candidatos da CDU à Assembleia e Câmara municipais, respectivamente, mas também José Luís Ferreira, da Comissão Executiva Nacional do PEV, e Jerónimo de Sousa, Secretário-geral do PCP. Antes das palavras, o apelo à participação na grande arruada que terá lugar na próxima sexta-feira, 29, entre a Câmara do Barreiro e o Mercado 1.º de Maio.

Para o palco foram também chamados Ana Pires, Rogélia Costa, Ana Porfírio e Carlos Moreira, cabeças-de-lista das oito freguesias do concelho, assim como Margarida Botelho e José Capucho, da Comissão Política e do Secretariado do Comité Central do PCP, respectivamente.

Proximidade às populações

Carlos Humberto destacou o muito que foi feito pela CDU, nomeadamente a reabilitação da Av. Alfredo da Silva; a construção do novo mercado; a abertura da fábrica da CUF/Quimigal à cidade; as intervenções na Frente Ribeirinha, algumas com impacto no Barreiro Velho; a compra da Quinta Braamcamp.

«A CDU é a força política que está em melhores condições de gerir o concelho do Barreiro, o seu presente e o seu futuro», reclamou o actual presidente da autarquia.

Construir soluções

«Somos uma força única e inabalável», disse, por seu lado, Sofia Martins, afiançando: «Conhecemos muito bem a realidade da nossa terra. As suas necessidades e aspirações. Sabemos o que queremos e porque lutamos.»

Na sua intervenção, a candidata defendeu um «território mais qualificado», «economicamente desenvolvido» e «capaz de criar riqueza, conhecimento e emprego». Nesse sentido, reclamou a ponte Barreiro-Seixal; a terceira travessia do Tejo; o reforço da actividade portuária.

Obra realizada

A encerrar aquele grande comício, Jerónimo de Sousa valorizou, também, «a obra realizada pela CDU» no concelho do Barreiro, assim como a «proximidade às populações, a atenção dada aos seus problemas». Recordou, por outro lado, o que «o concelho e quem aqui vive e trabalha perderam quando a autarquia foi parar a mãos erradas com a gestão do PS».

No Barreiro, o Secretário-Geral do PCP reclamou, ainda, «mais força» para a CDU para assegurar o aumento geral de salários e o aumento extraordinário do salário mínimo nacional para 600 euros em Janeiro de 2018.

«Não nos conformamos com o que PS e BE propõem no sentido de deixar para 2019 o que pode e deve ser feito em Janeiro de 2018: fixar o salário mínimo nacional em 600 euros», acrescentou, lembrando que esta é «uma decisão de justiça social e de valorização dos rendimentos dos trabalhadores».

Partilha

CDU - Coligação Democrática Unitária - PCP-PEV | Eleições Autárquicas 2017