Barreiro

Grande arruada no Barreiro dá mais força à CDU

Chegámos ao último dia da campanha para as autárquicas, eleições que vão decidir muito mais do que rumo que os órgãos autárquicos vão seguir nos próximo quatro anos. Jerónimo de Sousa concentrou o último esforço no apelo ao voto na CDU nos distritos de Setúbal e Lisboa.

No Barreiro – terra de progresso alcançado a pulso, como ninguém esquece – as cores da luta [vermelho], mas também da esperança [verde] e da confiança [azul], desfilaram, logo pela manhã, numa alegre arruada que se iniciou junto aos Paços do Concelho e terminou no Parque Catarina Eufémia.

De um ponto ao outro, ao ritmo da Charanga do Rosário, «A CDU avança com toda a confiança», entoaram as largas centenas de pessoas, todos apoiantes, por um lado, e candidatos, por outro, comunistas, ecologistas e independentes.

Foi na Avenida Alfredo da Silva que aquele «mar» de gente, cheia de energia e determinação, ganhou a «força necessária» para afirmar o projecto de esquerda para o Poder Local no «concelho e no País», como afirma o lema da CDU.

Ao lado do Secretário-Geral do PCP, estiveram sempre Sofia Martins e Carlos Humberto, respectivamente, primeiros candidatos da CDU à Câmara e Assembleia Municipal. Também eles receberam palavras de estímulo e de confiança pelo trabalho realizado ao longo dos últimos anos à frente dos destinos da autarquia. Presentes estiveram também, entre outros dirigentes do PCP, Margarida Botelho, da Comissão Política, José Capucho e Francisco Lopes, do Secretariado.

Augusto Sousa, mandatário concelhio da Coligação PCP-PEV, independente, considerou «fantástico» o ambiente vivido, o que significa que a CDU no Barreiro tem «equipa, programa e futuro».

Terra de trabalho

Por seu lado, Carlos Humberto salientou que o Barreiro é «terra de trabalho, combate e luta», mas também de «liberdade, democracia, associativismo, cultura e desporto», com «gente que não desiste» e «não abdica de intervir por melhores condições de vida, por trabalho e desenvolvimento».

«Somos uma força política de combatividade, com convicções, experiência, capacidade, persistência e luta», descreveu, manifestando confiança que a CDU, no dia 1 de Outubro, «alcançará uma nova vitória para o Barreiro». «O nosso combate é pelo Barreiro, mas também por Portugal e pelo mundo», acrescentou o actual presidente da autarquia.

Juntos somos barreiro

Depois, Sofia Martins, bastante emocionada, falou da «alegria» que sente «por ver esta força [a CDU] que enche as ruas, única, inabalável, muitas vezes omissa na comunicação social, e que mesmo assim cresce todos os dias lado a lado com as populações». Prometeu, um concelho «desenvolvido, multicultural e progressista», onde «todos contam» e «são chamados para a sua construção». «Somos a candidatura que está em melhores condições de gerir o futuro do concelho», porque «conhecemos esta terra melhor do que ninguém» e «somos quem tem a maior capacidade de a transformar», afiançou, sublinhando: «Mas isso acontece porque caminhamos juntos, sempre juntos, e só juntos é que somos Barreiro». «Obrigada, vamos ao trabalho», terminou.

Neste concelho, a festa de encerramento da campanha acontece, às 18h30, na Parque Catarina Eufémia, e, para além das intervenções políticas, conta com a actuação dos MCB Banda e de Sebastião Antunes. Um momento que ninguém do concelho vai querer perder.

Crescer e avançar

No sprint final, com palavras poderosos que ecoaram por todo o concelho e chegaram a mais gente, Jerónimo de Sousa voltou a apelar ao voto na Coligação PCP-PEV, para prosseguir com novos avanços, para fazer o País avançar e melhorar as condições de vida dos portugueses. «A CDU, também no Barreiro, está a crescer e a avançar», observou, pedindo «mais votos e mais mandatos» nas próximas eleições.

Neste sentido, advertiu que «até ao dia 1 de Outubro nada está ganho» e que «mobilizar» é a «palavra de ordem». «Precisamos que nenhum voto seja desperdiçado», porque «o que está em causa é a possibilidade real de continuarmos a desenvolver o trabalho e a obra da CDU, que não se pode confundir com qualquer outra força política», acrescentou.

Sondagens ilegais

No Barreiro, a campanha para as eleições ficou marcada, pela negativa, por chamadas telefónicas recebidas – nomeadamente a trabalhadores da autarquia - em que o interlocutor se identificava como sendo do PS no Barreiro e que dizia pretender fazer um inquérito. Ao telefone eram feitas perguntas falaciosas, alusivas à propaganda do PS no concelho do Barreiro, referindo uma suposta sondagem. Esta atitude, para além de ilegal, é demonstrativa do desespero, desorientação e falta de ética dos responsáveis pela mesma. «Na política não vale tudo para se alcançar objectivos eleitorais», afirma a CDU.

Partilha

CDU - Coligação Democrática Unitária - PCP-PEV | Eleições Autárquicas 2017