Almada

Grande arruada em Almada redobra confiança da CDU

O sucesso do projecto autárquico da CDU está relacionado com o seu vínculo aos interesses das populações e à defesa do bem público, considerou Joaquim Judas, cabeça-de-lista à Câmara Municipal de Almada, hoje de manhã, no final de uma arruada no centro da cidade, na qual foi acompanhado pelo Secretário- Geral do PCP.

O sucesso do projecto autárquico da CDU está relacionado com o seu vínculo aos interesses das populações e à defesa do bem público, considerou Joaquim Judas, cabeça-de-lista à Câmara Municipal de Almada, hoje de manhã, no final de uma arruada no centro da cidade, na qual foi acompanhado pelo Secretário- Geral do PCP.

A iniciativa começou à hora prevista mas acabou por demorar um pouco mais do que o esperado. Isto porque Joaquim Judas e Jerónimo de Sousa, bem como outros candidatos aos órgãos municipais e às freguesias do concelho não tiveram mãos a medir aos cumprimentos e saudações que os almadenses insistiram em fazer-lhes.

O recepção calorosa nas ruas levou o presidente da Câmara e recandidato pelo PCP-PEV, já no período das intervenções políticas, a responder àqueles que questionam os comunistas, os ecologistas e os seus aliados, sobre o «segredo» do sucesso do seu projecto autárquico.

«Sempre estivemos com os trabalhadores, nas horas boas e nas horas más, gerimos bem [o município e as juntas], temos um programa que resulta da relação que mantemos com os almadenses e integramos um projecto que se distingue dos demais», explicou Joaquim Judas.

Desvendado o «segredo», o primeiro candidato ao executivo municipal lembrou, por outro lado, que no período de feroz ofensiva ao povo e ao Poder Local Democrático por parte de anterior governo PSD/CDS, as «boas contas» da autarquia permitiram responder a situações de emergência. «Foram entregues 250 casas a famílias carenciadas e mais de mil agregados em risco de perder a respectiva habitação contaram com a Câmara para o impedir», relatou.

No mesmo período, a Câmara foi capaz de prosseguir o apoio ao movimento associativo, manter «o maior festival de teatro do País» e a água pública e de excelência, além de apostar na revitalização da Costa da Caparica «quando já ninguém acreditava nela», exemplificou Joaquim Judas.

Num discurso cuja fluência traduz fundadas convicções, razão e determinação, Joaquim Judas passou depois ao ataque. «Alguns dizem que não há esperança [para Almada], que não há futuro». A desmenti-los está o trabalho da autarquia na reconversão dos antigos estaleiros da Lisnave, uma realidade próxima na qual se prevê que sejam investidos cerca de 70 milhões de euros em 20 anos e criados dez mil postos de trabalho directos, referiu.

A desmentir as candidaturas que fazem do bota-abaixo à CDU o seu principal argumento eleitoral, Joaquim Judas acusou também de desconhecerem Almada e ignorarem que a Câmara «recrutou mais de 300 trabalhadores, acabou com a precariedade e orgulha-se de dezenas e dezenas trabalhadores do município que concluíram a respectiva formação académica enquanto trabalhavam».

«Quando muitos vacilaram relativamente ao aumento do horário dos trabalhadores das autarquias para as 40 horas, a gestão CDU acordou com os sindicatos a manutenção das 35 horas de trabalho semanal», frisou, antes de rebater a acusação de que o PCP-PEV, no município, não deu oportunidade para o diálogo nem acolheu propostas da oposição. «É comparar as reuniões que fizemos, como o recente Congresso Almada, com aquelas a que foram. As portas sempre estiveram abertas», salientou.

Confirmar dia 1 de Outubro

«Depois da excelente intervenção do meu camarada Joaquim Judas, não sei bem o que dizer», gracejou o Secretário-geral do PCP, para quem «o trabalho realizado em Almada pela CDU é notável» e serve de «bom exemplo para outros concelhos».

Nesse sentido, Jerónimo de Sousa apelou aos activistas e apoiantes da Coligação Democrática Unitária para que, nestas eleições, «não deixem perder a oportunidade de garantir a continuidade deste projecto».

Perante uma multidão que cresceu à passagem da comitiva pelas ruas, o Secretário-geral do PCP estendeu por fim o repto a todos os almadenses. «Disseram-nos, nesta arruada, “continuem”, “força”. Continuamos – assegurou o dirigente comunista. Mas venham connosco, votem, intervenham, porque quanto mais força tiver a CDU, melhor será para Almada e mais capacidade teremos de dar novos passos adiante também no País».

Partilha

CDU - Coligação Democrática Unitária - PCP-PEV | Eleições Autárquicas 2017