Santiago do Cacém

CDU é a opção segura para o concelho e para o País

Grande jantar em Santiago do Cacém

O périplo de Jerónimo de Sousa pelo Litoral Alentejano, na sexta-feira, não podia ter culminado de melhor forma: o jantar de Santiago do Cacém mobilizou centenas de pessoas, entusiasmadas e empenhadas em levar a candidatura da CDU e as propostas da CDU a todo o concelho, apostando na proximidade às populações, na conversa franca e aberta, no esclarecimento.

Foi precisamente isto que realçou o presidente da Câmara e novamente candidato, Álvaro Beijinha, destacando que os outros só têm cartazes para mostrar, já que os seus programas contêm «promessas eleitoralistas de última hora» e deixam transparecer um profundo desconhecimento sobre o município, as suas realizações e os seus problemas.

Tendo ao seu lado os primeiros candidatos da CDU aos municípios da região e aos órgãos autárquicos do concelho de Santiago do Cacém e ainda dirigentes do Partido Ecologista Os Verdes e do Partido Comunista Português, Álvaro Beijinha lembrou os anos da troika e acusou PS, PSD e CDS de terem promovido e apoiado a sua política de empobrecimento generalizado e de brutal ataque aos serviços públicos e aos direitos de quem trabalha. «Que jamais o façam no nosso concelho», frisou, apelando aos activistas e apoiantes presentes a que levem a «mensagem de Trabalho, Honestidade e Competência a todo o concelho».

Jerónimo de Sousa, que interveio a fechar a vibrante iniciativa (após o candidato à Câmara Municipal e a representante da Juventude CDU), começou por lembrar ser a CDU a força que mais candidaturas apresenta às câmaras municipais, um êxito que, referiu, prova um «maior enraizamento», um «mais largo apoio» e um «crescente reconhecimento do papel e importância» da coligação PCP-PEV. Apoio e reconhecimento que, garantiu, «decorrem do seu trabalho, da obra que realiza, do projecto distintivo que assume».

Se, para o Secretário-geral do PCP, os candidatos da CDU são uma «inquestionável mais-valia», o que efectivamente faz a diferença é o projecto, que se assume como «solução e proposta alternativa clara e assumida à gestão e projectos de todas as outras forças políticas»: a prova disso, garantiu, «está aqui neste concelho de Santiago do Cacém e no trabalho e a obra que realizamos nos 34 municípios, incluindo em municípios vizinhos como os de Grândola e Alcácer do Sal, e nas quase duas centenas de freguesias que gerimos no País, dando provas de uma intervenção qualificada e distintiva que não teme comparações».

Num discurso que aprofundou questões relacionadas com a luta de sempre da CDU e dos seus eleitos em defesa do Serviço Nacional de Saúde, na região como no País, Jerónimo de Sousa insistiu na ideia de que o voto na CDU conta a dobrar, ao servir para eleger, nos concelhos e freguesia, quem dá garantias de promover o seu desenvolvimento e defender os direitos das suas populações e, ao mesmo tempo, dar mais força à luta pela defesa, reposição e conquista de direitos. A gratuitidade dos manuais escolares no 1.º ciclo, a recuperação das 35 horas, o aumento extraordinário das reformas e o recente estabelecimento de um preço máximo para o gás de botija são alguns dos avanços que foram possíveis pela acção do PCP e da CDU. Com mais força, realçou, os avanços seriam ainda maiores.

Votar em quem dá garantias de «Trabalho, Honestidade e Competência», não trocando o certo pelo incerto, é a opção mais segura para quem quer melhor para as suas terras. E para o seu País.

Partilha

CDU - Coligação Democrática Unitária - PCP-PEV | Eleições Autárquicas 2017